5 Motivos que definem o futuro do modelo aaS

O modelo as a Service (aaS) vem crescendo incrivelmente já há um bom tempo. No início o que se percebia era uma onda que, como todas as outras, passaria seguindo seu curso e tudo retomaria seu lugar. Mas não é isso que está acontecendo.

  • Primeiro: o volume de negócios vem crescendo de maneira consistente e não dá sinais de enfraquecimento o que demonstra, já de início, que o modelo aaS veio pra ficar.
  • Outra percepção que indica na mesma direção diz respeito aos desligamentos de capital humano, verificados em empresas do segmento de hardware e software básico convencional, decorrentes da debandada dos consumidores para a nuvem. O aumento observado na procura por softwares básicos de virtualização confirma essa percepção.
  • A eliminação dos investimentos, assim como a queda nos custos de manutenção das tecnologias da informação e da comunicação (TIC) na nuvem também aflora como motivo relevante para a definição do futuro desse modelo. Agora já é possível observar, por intermédio de estudos estatísticos sérios, a maior efetividade do modelo aaS sobre os modelos tradicionais de venda / suporte / manutenção. Como as TIC via de regra são atividades-meio nas empresas e instituições, grande parte dos administradores e CIO estão indo na mesma direção à exceção daqueles que lidam com informações muito sensíveis.
  • Nesta toada, pode-se constatar, também, o substancial aumento da segurança das instalações na nuvem, muito disso em decorrência da responsabilidade civil que é imputada aos prestadores de serviços. Normalmente, a segurança cibernética, de acesso, bem como o grau de auditoria das operações realizadas nas soluções tecnológicas é muito maior nas ofertas pelo modelo aaS do que nas ofertas pelo modelo tradicional de venda/licenciamento + suporte/manutenção.
  • O quinto motivo que define a irretroatividade do modelo aaS está no binômio versatilidade – escalabilidade. Considerando o fato do acesso estar disponível em qualquer lugar e, geralmente, a partir de qualquer dispositivo (ex. notebook, smartphone, tablet, desktop, etc); e considerando as facilidades de aumento e/ou redução de capacidades; pode-se inferir a versatilidade de uso e as facilidades de aumento ou diminuição, sazonais ou não, das capacidades de processamento e/ou armazenamento de cada solução, refletindo na sua escalabilidade.

Assim, ante os irrefutáveis motivos que elevam o modelo aaS como o mais efetivo para as empresas e instituições, pode-se, com segurança, afirmar que o futuro é do modelo aaS. E você? Continua investindo e mantendo seus custos diretos e indiretos com as TIC elevados? Pense nisso!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *