Tecnologia em nuvem: como a comunicação cloud computing irá proteger seus dados

O mercado de soluções de comunicações unificadas (também conhecida como UCCaaS, sigla para Unified Communications and Collaboration as a Service) deve movimentar mais de US$ 17 bilhões até 2019. A informação, que faz parte do relatório Mobile Unified communications and Collaboration Market, tem tudo a ver com um recurso cada vez mais importante para o mercado de comunicação colaborativa: a tecnologia em nuvem.

É ela que facilita o trabalho dos gestores de TI de redimensionar a infraestrutura de comunicação entre equipes, eliminando a necessidade de substituição de equipamentos, aumento de custos ou ociosidade de plataformas superdimensionadas. Com a comunicação baseada em nuvem é possível flexibilizar a quantidade de canais disponíveis, otimizar o funcionamento deles e economizar recursos. A escolha por uma plataforma mais escalável e de alta performance, no entanto, pode levar a uma dúvida: o que vai garantir a segurança dos dados que vão trafegar por data centers (que podem ser locais ou remotos, por meio da nuvem pública) e que na maioria das vezes contêm informações confidenciais?

Estruturas de comunicação baseadas em cloud computing tendem a ser mais seguras do que a maior parte dos gestores de TI pensam. A razão é simples: além de um sistema de segurança completo, distribuído por várias camadas que incluem desde a proteção física até barreiras virtuais contra invasões, a criptografia está presente em todas as comunicações estabelecidas, sejam elas chamadas de voz, mensagens de texto ou a troca de arquivos entre os colaboradores das equipes. Conheça algumas características importantes.

Crypto cloud

Essa nova arquitetura de computação em nuvem aumenta a segurança do que circula pela internet. Ela reúne diversos recursos abstratos de virtualização, escaláveis e dinâmicos, que podem ser gerenciados remotamente e por sistemas inteligentes de administração de plataformas digitais. Os usuários que estão conectados à rede se beneficiam desse tipo de segurança inclusive quando utilizam dispositivos móveis, o que é fundamental para as empresas que têm incentivado cada vez mais a política de BYOD — sigla em inglês para Bring Your Own Device, que incentiva o uso de equipamentos pessoais no ambiente corporativo.

A segurança da crypto cloud é garantida pelo sistema Quantum Direct Key (QDK), um mecanismo de chave off-line assimétrica, em que todas as entidades têm pares de chaves públicas e privadas de acordo com a identificação de cada uma. Elas possuem ainda um gerador de chaves públicas que permite gerar códigos de quaisquer outras entidades off-line e é mais avançada do que a criptografia tradicional porque evita o congestionamento da rede — fundamental para canais de comunicação, sobretudo por voz.

Privacidade

Soluções de comunicação colaborativa costumam ser usadas pelas empresas para conectar equipes, principalmente as que estão mais distantes geograficamente. Em muitos casos, os colaboradores trocam informações sigilosas que não podem ser desviadas nem copiadas por terceiros. Como garantir, então, a absoluta confidencialidade do que é tratado? Optar por chamadas de voz ao invés de enviar um e-mail, por exemplo, não é garantia de tranquilidade. Ainda que muita gente acredite que a tecnologia GSM utilizada nos celulares de terceira geração em diante seja imune à hackers, tutoriais disponíveis na internet são capazes de ensinar a qualquer mal intencionado a forma mais eficaz de ouvir e até gravar tudo o que é dito.

Para garantir a inviolabilidade da comunicação, o uso de aplicativos desenvolvidos especificamente para o mercado corporativo é a opção mais adequada. Eles funcionam como interfaces para a nuvem, e só funcionam após o usuário inserir uma senha pessoal. Lá dentro há a possibilidade de buscar os contatos pelo nome e iniciar uma ligação telefônica, um chat ou ainda a troca de arquivos. Todo o processo acontece na nuvem e é criptografado de ponta a ponta.

Além de impedir que o canal seja acessado por usuários não autorizados, essa solução dá privacidade aos membros do time, que não precisam divulgar o próprio telefone pessoal para a empresa inteira nem acompanhar conversas em grupos de trabalho quando está de folga ou depois do expediente. Dessa forma, todos os assuntos corporativos são tratados exclusivamente no ambiente do escritório — ou na rua, mas em horário de serviço.

Gestão completa das equipes

Soluções baseadas na computação em nuvem oferecem níveis diferentes de hierarquia nos sistemas. Eles permitem que usuários comuns sejam diferentes dos administradores e tenham acesso mais ou menos restrito, conforme a necessidade de cada um. Por meio do gerenciamento direto na plataforma, é possível permitir que determinada categoria de colaborador possa fazer ligações interurbanas, consiga enviar arquivos acima de determinado tamanho ou gerencie o próprio histórico de conversas do dia, por exemplo.

Com esse recurso é possível acompanhar negociações entre vendedores e clientes, monitorar o que está sendo dito nas conversas corporativas e identificar eventuais barreiras que podem dificultar o fechamento de um negócio, além de saná-las o mais rapidamente possível. O gerenciamento também é importante para controlar os gastos com comunicação da companhia e avaliar a produtividade dos funcionários.

Finalmente, a dúvida sobre a adoção da tecnologia em nuvem para a comunicação corporativa não deve mais ser sobre a necessidade de implementá-la ou não; É inevitável que mais cedo ou mais tarde as empresas foquem cada vez mais no seu negócio principal e deixem de lado os investimentos em infraestrutura de TI e equipamentos para a manutenção de uma rede complexa de canais. O que resta é decidir qual o melhor tipo de nuvem para cada aplicação — se a pública ou a privada.

Continue acompanhando o nosso blog para saber quais as melhores decisões para otimizar a comunicação da sua empresa.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *