Publicado: 14/10/2021Tempo de leitura: 5 min.

Dígitro cresceu junto ao polo tecnológico de Florianópolis

Publicado por

Marketing Dígitro

Marketing Dígitro

Conteúdos Especiais

hashtags

Publicada em: ND Mais

A história da Dígitro Tecnologia se confunde com a própria história do polo tecnológico de Florianópolis. Oficialmente fundada em setembro de 1977, a Dígitro é uma das pioneiras e ajudou a construir um dos setores mais produtivos e representativos da economia catarinense. A vocação tecnológica de Florianópolis certamente se deve, em boa medida, à qualidade dos cursos de Engenharia, especialmente Mecânica e Elétrica, da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina).

A Dígitro Tecnologia aposta em soluções de Inteligência Artificial e machine learning como uma tendência para os próximos anos (a foto acima foi feita antes da pandemia de Covid-19) – Foto: Dígitro/DivulgaçãoA Dígitro Tecnologia aposta em soluções de Inteligência Artificial e machine learning como uma tendência para os próximos anos (a foto acima foi feita antes da pandemia de Covid-19) – Foto: Dígitro/Divulgação

Foi nesse ambiente que também nasceu a Dígitro, fundada por três engenheiros de formação. Isso se reflete também na figura do engenheiro José Fernando Xavier Faraco, um dos fundadores e hoje presidente do Conselho da Dígitro, que também foi o primeiro presidente da Acate (Associação Catarinense de Tecnologia). Quando fundou a entidade, a visão era de que as condições de capital humano poderiam impulsionar a transformação de Florianópolis como um polo de inovação e empreendedorismo no Estado.

E foi isso que se mostrou verdadeiro com o tempo. Faraco estava no grupo de empreendedores pioneiros que, em 1986, uniu-se em prol de um projeto para fortalecer o setor e apoiar o surgimento de novos negócios. Havia essa visão de que o setor de tecnologia poderia impulsionar a economia de Florianópolis nos anos 1980 e 1990, como uma alternativa de indústria limpa que projetasse a Capital no Estado e no país.

Ao longo dos anos, afirma Milton João de Espíndola, presidente da Dígitro desde 2016, tanto a Dígitro quanto o polo de tecnologia de Florianópolis cresceram, consolidaram o reconhecimento nacional e internacionalizaram sua atuação. “Então, podemos dizer que são duas trajetórias que caminham com grande sintonia”, destaca ele.

Essa visão se refletiu em resultados, segundo Espíndola. Hoje, Florianópolis é um polo pujante, o quarto em volume de negócios e representatividade no país. “Nesse período, a Dígitro também cresceu e se internacionalizou. Nasceu como uma startup, com uma solução criativa para um placar eletrônico instalado no estádio Orlando Scarpelli, do Figueirense. De lá para cá, investiu no desenvolvimento de novas soluções e ampliou o portfólio com soluções para atendimento ao cliente, comunicação unificada e inteligência investigativa. Hoje, a Dígitro é uma empresa com mais de 320 colaboradores, 1.200 clientes e com atuação em todo o Brasil e na América Latina”, ressalta ele.

Soluções

As soluções da Dígitro contam com mais de 50 mil usuários ativos. A empresa detém 90% do mercado brasileiro de segurança pública e tem seus produtos voltados para este segmento reconhecidos pelo Ministério Brasileiro de Defesa como Empresa EED (Estratégica de Defesa).

Na área de segurança pública, a empresa investe na criação de softwares que permitam o uso de inteligência nas investigações – Foto: Dígitro/DivulgaçãoNa área de segurança pública, a empresa investe na criação de softwares que permitam o uso de inteligência nas investigações – Foto: Dígitro/Divulgação

Foco no talento e inovação para o futuro

Desde o início, destaca Espíndola, a empresa manteve o foco em desenvolver soluções orientadas por três importantes pilares: necessidade do cliente, inovação tecnológica e segurança da informação. São essas diretrizes que nos guiaram até aqui e vão direcionar os próximos 15 ou 40 anos. “Estamos investindo para manter o pioneirismo que nos colocou nesse lugar de destaque no polo regional tecnológico de Santa Catarina e do país e onde queremos continuar”, afirma o presidente.

Ele lembra que, ao longo de sua história, a empresa inovou, cresceu e evoluiu. “Nosso portfólio de soluções sempre foi adequado e atualizado para atender o mercado em suas necessidades atuais e futuras. Também procuramos construir um grande time de pessoas. Isso porque na tecnologia não se faz nada sem talentos. Sabemos que a mão de obra é um dos principais desafios do setor e vai continuar sendo daqui para a frente. Por isso, continuamos investindo em programas de atração e retenção de talentos”, acrescenta. A empresa tem hoje cerca detec 50 vagas em aberto, de estágio a vagas de analista e desenvolvedores.

FONTE: ND Mais

Fale com a gente (chat)
Preencha as informações abaixo para iniciar o atendimento
Chat by Interact, da Dígitro