Publicado: 11/01/2022Tempo de leitura: 8 min.

Comportamento do consumidor: como ficará o mercado em 2022?

Publicado por

Marketing Dígitro

Marketing Dígitro

Conteúdos Especiais

Pare para pensar nos seus hábitos de compra há alguns anos e compare com atualmente. Provavelmente, muitos aspectos mudaram, não é mesmo? Isso acontece porque as transformações no comportamento do consumidor podem se dar pela faixa etária. Como, buscar por smartphones na adolescência e por fraldas quando se torna mãe ou pai. Porém, de acordo com o mercado, existem outras influências que moldam o padrão de consumo, como ideologias e até por uma pandemia, como aconteceu em 2020. 

A Covid-19 acelerou a chegada de diversas tecnologias. Assim, consequentemente, causou alterações significativas na hora de adquirir um produto ou serviço. E esse é o foco do nosso conteúdo hoje. Abaixo falaremos sobre as mudanças que ocorreram, os novos perfis de clientes e o quanto isso impacta as empresas. Acompanhe e saiba mais!

Entenda as alterações no comportamento do consumidor

O comportamento do consumidor é estudado constantemente, afinal a maneira como compramos altera com o passar dos anos. Uma prova e, também, uma modificação drástica foi a pandemia de 2020. Assim que o isolamento começou, a primeira alteração nos hábitos foram as compras on-line. Pedir comida do supermercado, por exemplo, tornou-se mais comum do que ir até a loja e pegar item por item. Mas se você pensa que esse tipo de prática foi momentânea, não se engane. O Marketer 's Toolkit 2022: Relatório de Tendências Globais mostra dados diferentes. Chegou-se a conclusão que 97% dos profissionais de marketing acreditam que elas terão influência nas estratégias deste ano.

Para começar, durante o ponto mais crítico, mercadorias que antes não eram adquiridas pelo meio digital ganharam espaço. A pesquisa State Of Commerce Experience afirmou que 50% das pessoas buscaram produtos que, em outro cenário, talvez não fossem procurados digitalmente. Além disso, empresas do setor de tecnologia mostraram que a interação com chatbots aumentou, causando um crescimento de 200% na procura por inteligência artificial. Porém o comportamento do consumidor também sofreu alterações ideológicas. Confira abaixo alguns exemplos! 

  • Sentimentos reais: você lembra no início da pandemia, quando a moda era aproveitar o “tempo livre” para fazer cursos e exercícios físicos? Agora a realidade mudou. O consumidor entende que positividade demais pode ser tóxica e que dar espaço às emoções negativas auxilia em diversos aspectos da vida.
  • Dessincronização social: com o avanço do home office e plataformas que possibilitam a comunicação integrada, as equipes não trabalham mais, obrigatoriamente, em horário comercial. Ou seja, as pessoas estão realizando as mesmas funções, mas em períodos diferentes.
  • Sustentabilidade: entre as tendências para 2022 está a procura por empresas que, além de visarem ao lucro, estão de olho no meio ambiente. Informação essa também retirada do relatório da Warc

Conheça os novos perfis de consumidores

Utilizando uma série de dados, como demográficos e psicográficos, a WGSN criou 3 novos grupos de consumidores que serão tendência em 2022. Abaixo, falamos mais sobre cada um deles. Confira!

  1. Estabilizadores

O primeiro perfil trata, principalmente, de Millennials e Geração X. São aquelas pessoas que aprenderam que precisavam ser produtivas e estar sempre bem, mas, agora, estão exaustas dessa situação. Isso não quer dizer que buscar o aperfeiçoamento é ruim. Porém, a procura incessante por se encaixar, na verdade, causa o sentimento de inadequação e diminui a autoestima. Assim, em 2022, esses consumidores estarão abertos à chamada aceitação radical, ou seja, experimentarão a vida como ela é. 

Na prática, para as empresas, significa adotar 3 estratégias. A primeira é a simplicidade na hora da venda, principalmente em e-commerce. Afinal, esse tipo de consumidor está cansado de tantas opções e essa sensação pode desestimular as conversões. A segunda é a busca por produtos zen e experiências tranquilas, independentemente do estabelecimento. 

Por fim, a comunicação unificada. O comportamento do consumidor estará voltado para empresas que utilizam o chamado omnichannel, quando todos os canais da companhia conversam entre si. Assim, as informações não são perdidas, sejam elas de clientes ou produtos. Para se adaptar, será necessário contar com ferramentas que ofereçam esse tipo de serviço, além de valorizar o feedback do público.

  1. Comunitários

Recentemente, uma notícia divulgada pela Stress Management Association (ISMA-BR) se tornou popular no Brasil. Ela afirmou que o país é o segundo com maior número de pessoas afetadas pela Síndrome de Burnout. Esse problema, causado pelo excesso de trabalho, é um dos cenários que os comunitários não querem mais para suas vidas.

Formados pelas mesmas gerações do grupo anterior, a ideia desse perfil é redefinir a agenda cheia de compromissos e focar em suas raízes e comunidade. Assim, além de impor limites entre a vida profissional e pessoal, eles também estão dispostos a investir em comércios locais e no reaproveitamento de produtos. Dentro das organizações, é interessante incluir investimentos em plataformas sociais e focar na exclusividade.

  1. Novos otimistas

Aqui, temos o grupo mais variado, composto por pessoas da Geração Z até os Baby Boomers. O que os une é apenas uma vontade: alcançar a felicidade. Desde os mais novos até os mais velhos, o objetivo desse grupo é buscar a representatividade para todos. Seja em relação à estética ou à alteração do conceito de envelhecimento, por exemplo. 

Nesse caso, as marcas precisam celebrar todas as faixas etárias e mostrar suas ideologias quanto a temas importantes para a sociedade. Além disso, é interessante investir em experiências mais tecnológicas de vendas, como as lives. Sem contar que é necessário simplificar o contato do cliente com a equipe de atendimento. 

Na última parte do conteúdo, confira como essas alterações influenciarão o dia a dia das organizações. Veja mais!

Saiba como essas mudanças afetam as empresas e o mercado em 2022

Em geral, será necessário rever o comportamento do consumidor de acordo com o público-alvo do negócio. E, é claro, adaptar-se às mudanças para se manter competitivo no mercado. Para isso, vale ter em mente pontos-chaves que abordamos aqui. Compras on-line, comunicação unificada, home office, sustentabilidade, dessincronização social e a simplificação no contato com o cliente são alguns deles. 

Isso porque, é a partir desses temas que as estratégias devem ser desenvolvidas. É preciso, por exemplo, adquirir uma plataforma que una todas as comunicações da sua empresa. Assim, se um consumidor iniciar uma conversa por telefone, mas finalizar por WhatsApp, todos os membros da equipe têm as mesmas informações disponíveis. Dessa forma, existem mais chances do contato ser assertivo.

Sem contar que, com a diminuição de pessoas trabalhando em horário comercial, os negócios precisam cada vez mais oferecer atendimento full time. Ou seja, a qualquer hora do dia. E, a maneira mais eficaz de tirar essa ideia do papel, é com a ajuda dos chatbots, inclusive, para tornar o bate-papo com o público mais fácil.

O ano de 2022 já começou, então, esse é o momento de criar as estratégias e colocar a mão na massa junto a toda a equipe. Que tal contar com a ajuda da Dígitro em plataformas de comunicação e inteligência artificial que auxiliarão nesse processo? Conheça nossas soluções e entre em contato para saber mais!


 
Fale com a gente (chat)
Preencha as informações abaixo para iniciar o atendimento
Chat by Interact, da Dígitro